• Equipe Elefante Marinho

Macacos aumentaram os cérebros após experimento

Eles receberam uma cópia do gene humano identificado como um dos principais pela inteligência humana.

Foto meramente ilustrativa

Quem já assistiu esse filme? Estaríamos começando o filme Planeta dos Macacos? Calma, os procedimentos são diferentes do filme apesar de sempre ser importante ter muita atenção a esse assunto. Bom, os macacos receberam uma cópia de um gene humano, identificado como um dos principais responsáveis pela inteligência das pessoas, o ARHGAP11B.


Há pelo menos 1 milhão de anos os cérebros humanos começaram a se desenvolver mais rapidamente, passando a ser cada vez maiores. Agora, cientistas chineses realizaram um teste, onde macacos desenvolveram cérebros maiores após receberem gene humano específico.


Se você é um grande fã do filme Planeta dos Macacos pode ter ficado preocupado, mas por enquanto isso está apenas no início. Ainda assim, a pesquisa pode ser fundamental para a identificação de um gene importante que nos trouxe até aqui. Enquanto isso, estes primatas continuam nas árvores.


Como macacos desenvolveram cérebros maiores?


A pesquisa foi desenvolvida por cientistas do sul da China, onde tentaram “criar” diversos macacos transgênicos. Para isso, fizeram uma cópia extra de um gene humano, identificado como um dos principais responsáveis pela inteligência das pessoas, o ARHGAP11B.


“Esta foi a primeira tentativa de entender a evolução da cognição humana usando um modelo de macaco transgênico”, diz Bing Su, geneticista do Instituto de Zoologia Kunming que liderou a pesquisa.

Imagem microscópica de uma seção de um hemisfério cerebral de um feto de sagui transgênico com 101 dias

Smartphones, notebooks e eletrônicos com desconto? Clique aqui

Foram realizados testes com os macacos geneticamente modificados, que apresentaram um desempenho cognitivo melhor. O teste de memória envolvia a escolha de cores e imagens em blocos. Contudo, cientistas de outras partes do mundo consideraram essa uma experiência imprudente, questionando a ética dos profissionais.


“O uso de macacos transgênicos para estudar genes humanos ligados à evolução do cérebro é um caminho muito arriscado”, diz James Sikela, geneticista que realiza estudos comparativos entre primatas da Universidade do Colorado.


Segundo ele, isso desrespeita os animais e no futuro pode causar modificações mais extremas. “É uma questão clássica de declive escorregadio e que podemos esperar que se repita à medida que esse tipo de pesquisa for realizado”, diz ele.


Pesquisas com primatas são raras


Se os camundongos continuam sendo muito requisitados em laboratórios, as pesquisas com primatas são cada vez mais raras nos Estados Unidos e na Europa. Mas, na China ainda não é assim, por isso realizaram os testes e desenvolveram os primeiros macacos alterados pela ferramenta de edição de genes CRISPR.


Na Alemanha, resultados parecidos


Embora as pesquisas com primatas na Europa sejam raras, testes foram feitos no Instituto Max Planck de Biologia Celular e Genética Molecular, da Alemanha. Assim, o gene ARHFAP11B foi aplicado em fetos de saguis com 101 dias de idade, faltando 50 dias para o nascimento.


A esquerda os cérebros normais de saguis, a direita os modificados. Foto: Heide et al. / MPI-CBG.

Quer comprar na internet com desconto? Clique aqui


Os pesquisadores descobriram que a produção de neocórtex foi ampliada, transformando o córtex cerebral, que é responsável por habilidades cognitivas avançadas, como a linguagem. Além disso, esse é um gene que apareceu após a divergência dos chimpanzés, já presente em neandertais e denisovanos.


“Descobrimos de fato que o neocórtex do cérebro do sagui comum estava aumentado e a superfície do cérebro dobrada. Sua placa cortical também era mais espessa que o normal”, disse Michael Heide, principal autor do estudo, em comunicado.

Conforme os cientistas alemães, uma mutação acontecida entre 1,5 milhão e 500 mil aos atrás foi a responsável pelo crescimento cerebral. Por fim, afirmam que os filhotes de sagui foram tratados com ética e responsabilidade. O estudo que descreve as experiências foi publicado na revista Science, confira.


Lembrando que esse ano um macaco já jogou vídeo game com o cérebro usando um chip implantado em seu cérebro. Essa será a nossa próxima matéria.


Fontes: sciencemag, socientifica.


gif

Cupons de desconto na

internet: Clique aqui


#ciencia #macaco #planetadosmacacos #genetica #dna #neurologia

Boas vindas!!!