• Sabrina Carvalho

SOFT SKILLS PARA A ERA DIGITAL Parte 4

Uma série que revela quais são as habilidades que irão te diferenciar no futuro do trabalho da nova realidade do business.


Antes de iniciar com as duas próximas competências para a era digital, é importante que reveja o conceito de soft skills e a explicação das outras que estão nas partes 1, 2 e 3 desta série (os links se encontram no final da matéria).


A próxima soft skill é Pensamento Adaptativo. Saber analisar as mudanças inesperadas no cenário corporativo, pensar e criar soluções inovadoras para que todos se adaptem ao novo momento é o que define a pessoa que tem pensamento adaptativo. Em resumo é quem consegue enxergar a oportunidade em meio ao caos, à dificuldade, à mudança repentina, é ser o profissional inovador, criativo e flexível a mudanças.


O que seria das empresas, da economia e do mercado se não existissem pessoas capazes de encontrar soluções diante do caos? Em 2020 vivenciamos uma das maiores crises desde o crash de 1929, passamos por um caos geral que fugiu do controle do mundo inteiro que, de repente, nos obrigou a permanecermos reclusos, trancados em casa, impedidos de gerar renda, de crescermos e prosperarmos. O medo tomou conta da humanidade, muitas pessoas perderam os empregos, viram seus sonhos acabarem, seus negócios ruírem, suas famílias se desintegrarem e o pior de tudo, sofreram com a perda de entes queridos.


Antes desse cenário, algumas empresas não conseguiam enxergar o home office como benefício, porém diante das circunstâncias muitas delas determinaram que todos os funcionários fossem inseridos nesse sistema de trabalho. Diversas questões foram surgindo durante o caminho. Como controlar a produtividade dos funcionários? E o registro do ponto? Como manter a comunicação efetiva entre todos? Quais tecnologias eram necessárias para que o trabalho fosse executado e que todos pudessem ter acesso? E as atividades que eram essencialmente presenciais? Vários profissionais precisaram usar a criatividade para conseguirem sobreviver a tudo isso, muitos mudaram de profissão, outros adaptaram as suas atividades para o mundo digital, alguns aprenderam coisas novas e os que não conseguiram se adaptar, infelizmente, passaram por inúmeras dificuldades.


E como podemos desenvolver o pensamento adaptativo? Muito simples, aliás é uma das mais simples dessa série. Basta usar o poder criativo que já nasce com todo e qualquer ser humano, sim, todos somos criativos, é só acessar na memória. Com o tempo, adormecemos essa capacidade, mas a boa notícia é que ela pode ser recuperada, basta treinar. Comece olhando para situações simples, em casa mesmo, e pense em soluções diferentes para essas situações. Observe as crianças e veja como encontram soluções criativas para tudo, é muito comum observarmos uma criança brincando com panelas, bacias e potes como se fossem parte de uma grande cidade. Faça o mesmo, use a sua imaginação e adapte-se às adversidades, criando soluções e não apenas se apegando ao problema.


Em seguida temos a competência chamada Design Mindset, que é a capacidade de mudar processos e ambientes para alcançar metas e resultados. Essa mudança deverá reconhecer as variadas tarefas exigidas pelo mundo corporativo e as diferentes formas de pensar para solucionar cada uma delas.


Quem nunca ouviu do superior imediato que a empresa precisa renovar seus processos, que é necessário modernizar as atividades e solicita que os funcionários apresentem suas ideias e concepções? Um profissional que pensa em como é possível melhorar um processo interno é um grande diferencial no capital humano da empresa. Porém, é necessário, que os superiores recebam abertamente cada sugestão, senão não há sentido em se tornar um profissional com essa competência desenvolvida. As empresas mais modernas já praticam essa abertura, mas é fundamental que saiba analisar o cenário em que está inserido para não gerar problemas na sua atual ocupação.


Para desenvolver essa soft skill, tenha sempre um olhar analítico e observador, informe-se a respeito de modernizações, esteja atento às tendências empresariais, leia bastante e use a sua capacidade de comunicação para sugerir ideias e mudanças para que a empresa evolua e se torne atrativa a diversos profissionais de mercado. Aqui é fundamental estar atento às inovações, ferramentas e processos do mundo corporativo, é importante saber analisar o todo, as tarefas, as atividades, os cargos, as responsabilidades, os processos internos e como propor mudanças estruturais que chamem a atenção de todos.


Percebeu que, praticamente todas as soft skills apresentadas até agora têm uma ligação entre si? É isso mesmo, a partir de agora os profissionais que se destacarão no mundo corporativo são aqueles que possuem diversas dessas competências e a capacidade de transitar por diversas áreas da empresa.


Na próxima publicação falaremos sobre Inteligência Social e Colaboração Virtual. Fique de olho!


Não leu as matérias anteriores sobre Soft Skills para a era digital?


Links:

  • SOFT SKILLS PARA A ERA DIGITAL PARTE 1

  • SOFT SKILLS PARA A ERA DIGITAL PARTE 2

  • SOFT SKILLS PARA A ERA DIGITAL PARTE 3


Quer comprar na internet com desconto? Clique aqui


Sabrina Carvalho


Autora do livro: Geração Z: uma nova realidade

Colunista no Blog do Elefante Marinho

Especialista em Gestão de Pessoas, Analista Comportamental, Life Coach, Funcionaria em SEBRAE, idealizadorado canal @prosperae e consultora de desenvolvimento pessoal.

Estudante de UX Design, Mãe e Multitarefa.


#tecnologia #profissão #cursos #softskills #trabalhodofuturo #revoluçãodigital #homeoffice

Boas vindas!!!